Marcos Lacerda entrevista Marimelo

Marimelo é o nome artístico de Mariana Mello, cantora e compositora carioca que vem atuando já há algum tempo no campo cultural brasileiro. Marimelo trabalha com as variações do forró, em ritmos como xote, baião, xaxado e por aí vai. Tem uma relação de muita familiaridade com o ritmo e o gênero musical, embora sua formação inicial esteja mais associada a canções do universo pop e da MPB. “Na minha casa tocava de tudo. Quando eu tinha 14 anos gravei um disquinho Demo, nele tinha Nunca de Lupicínio, Asa Morena inspirada em Zizi, Long Ago dos Carpenters, Bye Bye Tristeza, Sandra! Amor I Love You, Marisa.

Zizi Possi, Sandra de Sá, Marisa Monte e Lupicínio Rodrigues, baita time! E inclua neste time aí Roberto Carlos, Belchior, Gilberto Gil e muito mais. Mas o gosto concentrado no forró veio depois, coincidindo com um momento em que começaram a surgir muitas bandas de forró no mercado de canções brasileiro, com grupos como Falamansa, Forróçacana, Mestre Ambrósio e muitos outros. Foi um momento bem interessante, quando o gênero musical se transformou em moda no meio da juventude.

 

A partir daí, e levando em conta o seu gosto pelo canto e pela composição desde muito jovem, Marimelo cria o seu primeiro trio, em 2008, e passa a circular por muitos palcos no Brasil, por um longo período, entre 2008 a 2016."Passei todo esse tempo pelos bailes. Cantei demais, mas os lugares mais frequentes, Lapa aqui no RJ, Fundição, Circo Voador, Clube dos Democráticos, CCC. Fora do Rio, em Itaúnas, Vitória e Vila Velha no ES, Caraíva na BA, BH, Brasília..."

Além de cantora, com performances excelentes, como se pode ver em vídeos no seu próprio canal no youtube, Marimelo já compunha. Na verdade, a veia autoral está presente bem no início da sua profissionalização: "meu primeiro show foi num festival e era obrigatório increver uma música inédita. Existiram esses dois festivais. Ganhei prêmio como melhor intérprete nos dois. FENFIG (festival nacional de forró ilha grande) 2008 e FENFIT (festival nacional de forró itaúnas) 2009."

 

No período do trio, Marimelo realizou uma série de projetos, como o forródaqui, o tributo a Marinês e os Valetes e uma Dama, entre outros. Fez parte do Rio Maracatu, a partir de 2013, com quem viajou mundo.  Em 2016 faz uma mudança decisiva. Até então se apresentava como Mariana de Mello, acompanhada do seu trio. A partir deste ano começa a atuar como Marimelo e lança seu primeiro EP Micrometria, com 5 canções autorais e parcerias. A artista é também quem faz as artes dos seus projetos, como capa dos discos, material de divulgação, roteiros para os clipes e por aí vai.

 

Com a pandemia e toda a restrição de circulação, a artista criou o projeto “Sou xote”, em que apresenta pequenos vídeos com interpretações usando apenas um instrumento, o ukulele. Fez o clipe para uma canção sua, “Duas montanhas”, em que percorre as ruas de santa teresa, bairro carioca, com o companheiro, o percussionista Chris Mourão e com o filho do casal. E quais os novos planos? Bem, como não poderia deixar de ser, para uma artista tão viva e criativa, vai lançar um novo EP, com direito a muito xote e baião e com um time de músicos de primeira, a começar pelo próprio Chris Mourão. O EP vai se chamar “Sou xote” e tem, entre as canções, a própria “Duas montanhas”.

 

"Estamos montando os arranjos!", diz empolgada. "São 6 xotes e 2 baiões. Basicamente, ukulele, baixo, sanfona e uma brasucatera, um set de percussão com zabumba e elementos de bateria e percussão leve. Criação do meu companheiro, Chris Mourão. Ele é o percussa do Forróçacana e me acompanha há 8 anos." O EP vai contar ainda com a baixista russa Marfa Kourakina, que toca com Marimelo desde 2013, e com o sanfoneiro Eron Lima e tem previsão de lançamento para o primeiro semestre do ano que vem. E, após as dificuldades todas do período da pandemia, esperemos que o seja com muitos shows pelo Brasil afora.

WhatsApp Image 2021-11-19 at 21.45.56.jpeg